play

OUÇA A RÁDIO ROQUETTE-PINTO

94FM

Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade e Inea promovem webinar sobre cidades resilientes

Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade e Inea promovem webinar sobre cidades resilientes
Presidente do Inea, Philipe Campello, falando.

Evento transmitido pelo Youtube do instituto promoveu a troca de experiências e reflexões entre a ONU, órgãos de defesa civil e universidade

A Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) transmitiram nesta quinta-feira (9/11) o webinar “Cidades Resilientes: Juntos rumo a cidade mais resiliente”. Transmitido pelo YouTube do Inea, o evento promoveu um espaço para divulgação, trocas de experiências e reflexões de diferentes instituições que participam da iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU), Construindo Cidades Resilientes - MCR 2030.

Além disso, os órgãos municipais de defesa civil mostraram as boas práticas desenvolvidas por municípios brasileiros na busca de cidades mais resilientes, visando construir uma consciência de prevenção na população e nos municípios do estado do Rio de Janeiro, principalmente, na gestão de risco e desastres.

Dentro desse contexto, as políticas públicas são essenciais para garantir que a sociedade esteja segura e tenha qualidade de vida. “Nesse sentido, a secretaria em conjunto com o Inea fortalece essa política no estado, por meio da Assessoria Especial de Cidades Resilientes, com ações e eventos relacionados ao tema, no estímulo da inclusão dessa lente climática buscando soluções híbridas para a gestão de risco a desastres”, acrescentou a subsecretária de Mudanças Climáticas e Conservação da Biodiversidade, Marie Ikemoto.

“Nessa gestão, criamos a Superintendência de Cidades Resilientes, entendendo os momentos que fazem parte de todo o processo: pré, durante e pós desastre. Cada etapa é crucial para que consigamos chegar no resultado de cidades capazes de resistir, absorver e se recuperar de forma eficiente dos efeitos de um desastre”, afirmou o presidente do Inea, Philipe Campello.

No mapeamento de desastres naturais, as cidades estão suscetíveis a diversos fenômenos, como tempestades, enchentes e deslizamentos de terra. É crucial que os municípios estejam prontos para uma resposta ágil, reduzindo a vulnerabilidade da população. Para isso acontecer, é necessário investir em prevenção, além da divulgação de informação e tecnologias que agilizem as ações em situações de emergência.

Para iniciar o primeiro painel, a assessora Especial de Cidades Resilientes da Seas, Larissa Costa, anunciou aos participantes da mesa experiências de instituições que participam da iniciativa da ONU. Nela, estavam o gestor junior do Programa Construindo Cidades Resilientes da ONU, Clemént da Cruz; o coordenador especial de Ações do Meio Ambiente da Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro, o coronel Marcelo Watanabe; e a coordenadora da Especialização em Cidades Resilientes da Universidade Federal de Juiz de Fora, Gislaine dos Santos.

O segundo painel abordou as boas práticas municipais rumo às cidades resilientes. Palestraram o secretário executivo da Defesa Civil Municipal de Recife, coronel Cássio Sinomar; o diretor geral da Defesa Civil Municipal de Salvador, Sósthenes Macedo; e o secretário municipal de Proteção e Defesa Civil de Petrópolis, coronel Gil Kempers.

Para assistir a transmissão, acesse o link.